Oi !

Tenho pensado no quanto sinto falta de uma plataforma como o blog pra compartilhar coisas que não se encaixam em outros lugares. Já tentei newsletter mas não consegui manter, não curto o formato, então vou tentar por aqui.

Dia N.

carta para maurício

maurício, sinto saudades daquele dia em que ficamos em ponta negra ouvindo músicas. tenho uma saudade danada daquele dia. a conversa mais sincera que eu já tive. você cantarolava aquela música do cartola e eu não sabia o que fazer com as mãos. foi como se o tempo parasse. como se ausência não houvesse. era…

Continue lendo → carta para maurício

sobre sonhos e músicas

ontem sonhei com minha mãe. sonhei que ela minha abandonava outra vez. deve ser por conta do lançamento do livro. é tão estranho pensar que o acontecimento que definiu tudo o que eu fiz e quem eu sou derive não de uma morte física, mas de uma morte simbólica. quando acordei lembrei da gigliogla cinquetti…

Continue lendo → sobre sonhos e músicas

eu aprendi muito tarde a amar as mulheres

eu demorei muito a me perceber como mulher. eu olhava para outras mulheres e pensava, ela é mais magra-bonita-inteligente. era uma vida de comparações. logo eu, que detesto ser comparada. nós mulheres, desde muito cedo, somos algemadas e amordaçadas em corpetes-sutiãs-calcinhas-de-renda. eu tardei a gostar do meu cabelo cacheado, chamado de ruim-enjubado-sarará-bombril. tardei a olhar…

Continue lendo → eu aprendi muito tarde a amar as mulheres

ser uma mulher que escreve é um ato político ou “quem cala, consente”.

nesse momento em que se fala tanto sobre polarização, ativismo e posicionamento nas redes, eu só tenho a dizer que não há como desvincular o ato de escrever de uma consciência histórica e política. hoje é essencial que nos manifestemos contra o fascismo que teima em se aproximar. minha avó já dizia, <quem cala, consente>.…

Continue lendo → ser uma mulher que escreve é um ato político ou “quem cala, consente”.

exausta, exaustíssima

e quem não está? esse desgoverno não está fácil. a pandemia e os negacionistas dela se multiplicam como uma praga num jardim fértil. eu só queria gritar da janela o quanto estou exausta. e com medo. ano passado tive uma crise de despersonalização. já ouviu falar? O transtorno de despersonalização/desrealização é um tipo de transtorno…

Continue lendo → exausta, exaustíssima

Inscreva-se para receber no e-mail!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

Me encontre nas redes ❤